Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Livro: Grande Magia


Das últimas boas leituras que li, tenho para indicar o livro 
da Elizabeth Gilbert, Grande Magia. Pra quem não se recorda ou não sabe
ela é autora do livro Comer, Rezar e Amar que virou filme com a Julia Roberts.

O livro fala sobre a vida criativa. de uma maneira muito gostosa
e simples, como podemos viver motivados pela curiosidade e não deixarmos
o medo nos envolver tanto. Aqui não há receitas prontas, a simplicidade é a chave do negócio.
É estar atento as suas intuições, aos seus sonhos, se preparar para receber o melhor da vida
e claro acreditar que merecemos o melhor da vida. 
Elizabeth é muita clara ao dizer que todos os dias há novas e maravilhosas ideias
á procura de colaboradores humanos. E aí nos vem a pergunta: Você, você mesmo
que está lendo esse post, está preparado para novas ideias? Está preparado para realizar
seus sonhos e desejos? Está disponível para o que a vida pode lhe trazer?

Partindo do obvio, se você não estiver preparado e se achar merecedor a vida
irá procurar quem esteja. Simples assim ou não, não é mesmo?
Muitas vezes somos sabotadores de nós mesmos.

No fim entendemos que só depende de nós mesmos ter ou não uma vida criativa.
Mas não pense que mesmo estando preparado, a vida será apenas coisas boas.
O equilíbrio faz parte da vida, com seus altos e baixos, mas aí que entra a vida criativa.
Como você irá lidar com esses altos e baixos? O que irá tirar desses momentos?

Aqui a Liz, conta suas experiências e de pessoas próximas o que faz a leitura
ser prazerosa e sem aquela mundo cor-de-rosa onde tudo na vida do outro acontece 
de forma fácil e somente com sucesso.

Quer sucesso? Aprenda a lidar com o fracasso. O problema é que desistimos
exatamente quando a coisa está ficando interessante. Quando o fracasso está ali dando as caras.

Amei o livro, está entre meus favoritos e terminei cheia de anotações.

Termino com uma frase no mínimo interessante da Liz, no livro.

"Tudo estava em seu devido lugar - na mais perfeita ordem e definitivamente resolvido.
Acontece que não existe ordem perfeita e nem nada é definitivo"

Recomendo! 




domingo, 22 de maio de 2016

Não importa o que fizeram com você


"Entre as muitas coisas profundas que Sartre disse, essa é a que mais amo: "Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você." Pare. Leia de novo e pense. Você lamenta essa maldade que a vida está fazendo com você, a solidão. Se Sartre está certo, essa maldade pode ser o lugar onde você vai plantar o seu jardim."

Rubem Alves


quarta-feira, 18 de maio de 2016

Musical Wicked


Final de semana passado, fui a São Paulo assistir ao Musical Wicked, no Teatro Renault.
Wicked do escritor Gregory Maguire, é uma historia de antes do Mágico de Oz,
que conta sobre a bruxa verde Elphaba. Pra quem não conhece a história do Mágico de Oz,
temos duas bruxas. Elphaba a bruxa verde e má e Glinda (ou Galinda) a bruxa loira e boa.
Mas será mesmo que uma é tão má e a outra tão boa assim?

Já havia assistido a um musical, que na época foi O Rei Leão e já sabia a super
produção que poderia esperar, mas confesso que é sempre uma surpresa muito agradável
ver todos aqueles lindos cenários, as atuações, as vozes, as canções.


Os atores são ótimos e dei muita, muita risada. Vale lembrar que esse musical é um dos
maiores faturamentos da Broadway. E aqui no Brasil a adaptação está incrível,
O mágico de Oz, pra mim sempre deixa uma lição de vida, já havia comentado aqui no blog
do filme. Os temas, são tão atuais: Porque não aceitamos o diferente?
Porque os animais são tão mal-tratados? Aqui também iremos descobrir o 
porque o homem de lata, virou homem de lata. E porque os macacos tem asas.


Pra quem tiver interesse, os ingressos podem ser comprados no site do Tickets for Fun
e tem preços para todos os bolsos, já adianto que mesmo os lugares mais baratos, 
a visão é ótimo e não atrapalha em nada.

Recomendo! 






quinta-feira, 12 de maio de 2016

Ainda assim ter fé e coragem


"Não nos é permitido ver a magnitude de nossa Divindade, nem compreender
o alcance de nosso Destino e o futuro glorioso que está diante de nós,
se assim fosse, a vida não seria uma prova nem envolveria esforço, nem testaria o nosso mérito.
Nossa virtude consiste em estarmos esquecidos na maior parte dessas coisas grandiosas,
e ainda assim ter fé e coragem para viver bem e dominar as dificuldades desta terra.
Contudo, podemos, por comunhão com nosso EU Superior, manter essa harmonia
que nos torna capazes de superar todos os obstáculos terrenos e 
empreender nossa jornada ao longo do caminho reto para cumprirmos
nosso destino, imunes ás influências que nos possam desviar.".

Do livro, Os Remédios Florias do Dr. Bach





segunda-feira, 9 de maio de 2016

A vida precisa do vazio


"A vida precisa do vazio:
a lagarta dorme num vazio chamado casulo até se transformar em borboleta.
A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida.
Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito.
E as pessoas, para serem belas e amadas, precisam ter um vazio dentro delas.
A maioria acha o contrário; pensa que o bom é ser cheio.
Essas são as pessoas que se acham cheias de verdades e sabedoria e falam sem parar.
São umas chatas quando não são autoritárias.
Bonitas são as pessoas que falam pouco e sabem escutar.
A essas pessoas é fácil amar.
Elas estão cheias de vazio.
E é no vazio da distância que vive a saudade..."

Rubem Alves



domingo, 1 de maio de 2016

Faça alguma coisa. Qualquer coisa.


"Vá passear com o cachorro, catar todo o lixo que encontrar na rua em frente
a sua casa, vá passear de novo com o cachorro,
fazer uma torta de pêssego, pintar umas pedrinhas com esmalte colorido
e colocá-las em uma pilha.
Você pode achar que isso é procrastinação, mas, com a intenção
certa, não é, é movimento. E qualquer movimento é melhor do que a inércia,
pois a inspiração sempre está atraída para o movimento.
Então acene os braços. Faça alguma coisa. Produza alguma coisa.
Qualquer coisa".

Do livro Grande Magia de Elizabeth Gilber 



domingo, 24 de abril de 2016

Não temos tempo para a perfeição


"...A primeira coisa a fazer é esquecer a perfeição. Não temos tempo para a perfeição.
De qualquer forma, ela é inatingível: é um mito, uma armadilha,
uma roda de hamster que vai fazê-lo correr até morrer.
Como resumiu bem a escritora Rebecca Solnit: "Muitos de nós acreditam na perfeição,
o que estraga todo o resto, pois o perfeito não é inimigo somente do que é bom, 
mas também do que é realista, possível e divertido.
O perfeccionismo impede as pessoas de terminarem seus trabalhos e, 
o que é ainda pior, muitas vezes as impede de começarem seus trabalhos.
Perfeccionistas com frequência decidem de antemão que o produto
final nunca será satisfatório, então nem se dão ao trabalho de começar a criar.
Porém, a artimanha mais diabólica do perfeccionismo é se disfarçar de virtude.
Minha opinião, contudo é outra. Para mim, o perfeccionismo é apenas uma versão
de luxo, do medo. Acho que o perfeccionismo não passa do medo usando
sapatos chiques e um casaco de vison, fingindo ser elegante quando,
na verdade, está simplesmente apavorado. Pois debaixo daquela fachada brilhante,
o perfeccionismo nada mais é do que um profundo mal-estar existencial que afirma repetidamente:
"Não sou bom o suficiente nem nunca serei"".

Do livro Grande Magia de Elizabeth Gilbert