Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Sobre a delicadeza


"Delicadeza é aquilo que nos alcança sem nos tocar,
É a melodia que nos embala mesmo em silêncio.
É quando a boca empresta um sorriso aos olhos sem que nenhuma
cobrança seja feita e os sentidos se misturam sem que ninguém dispute
o melhor espaço. Delicadeza é ter pensamentos e atitudes
em harmonia. É atingir o outro sem que ninguém saia machucado.
É quando você é seduzido por algo que vem de dentro
e dividir ajuda a somar".

Fernanda Gaona





segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Gratidão pelo o que a vida traz


Hoje na aula de Yoga, a minha querida professora compartilhou a seguinte experiência:
Na Índia, após alguns rituais, as pessoas recebem "um presente", que pode ser uma uva passa,
uma fruta qualquer. E muita gente quando recebe por exemplo, a uva passa diz:
- Mas eu não gosto de uva passa. Gosto de morango. Ou de coco. Ou de uva.
Mas não há naquele momento o que se gosta. Há, a uva passa.
E assim, é a vida. Vivemos esperando (segundo as nossas expectativas), 
o que gostamos, o que queremos, sejam em coisas materiais, retornos, sentimentos, atitudes alheias.
Damos, mas esperamos receber aquilo que o queremos. Mas somente o que queremos.
Mas, como no ritual, recebemos a uva passa, ainda que não seja o que queremos.
 Tudo é aprendizado, é gratidão, não se bate em uma porta errada. 
Aquilo que recebemos ou que temos hoje, nesse momento é o que precisamos.

Gratidão pelo ensinamento que o que recebemos nos traz.
É o que tem pra hoje, e se amanhã ou depois recebermos algo melhor que a uva passa, gratidão.
Se não recebermos, gratidão também.

A preocupação maior é com a nossa postura diante da vida, com aquilo que plantamos.
Porque o que plantamos, inevitavelmente iremos colher.
E se hoje você não está colhendo algo bom, tente analisar o que anda plantando.

É uma ótima reflexão para começarmos a nossa semana não?

Gratidão então pela semana que se inicia.





sábado, 21 de fevereiro de 2015

Temer a dor


"Temer a dor é covardia,
Tentar fugir, é tolice,
Fazê-la nos outros, sadismo
Alimentá-la em si mesmo, masoquismo.
Revoltar-se, imprudência.
Compreendê-la, amaciá-la em aceitação é sabedoria, fortaleza, redenção".

Hermógenes, do livro Mergulho na Paz







quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

A Teoria de Tudo


Olá, pessoas queridas! Meu carnaval foi do tipo (Oi? É Carnaval?),
tranquilo, tranquilo, em casa, lendo, dormindo e claro assistindo filmes.
Fui no cinema assistir a um dos filmes que concorrem ao Oscar deste ano:
A teoria de Tudo, que conta a história do físico Stephen Hawking considerado
um dos astrofisícos mais importantes de todos os tempos.
Hawking (interpretado por fabuloso Eddie Redmayne), descobre ainda jovem
que possui uma doença degenerativa conhecida como esclerose amiotráfica.
Os médicos não lhe dão mais de 2 anos de vida, logo agora que ele cursa a faculdade,
é talentoso e conhece uma linda garota. 
Mas juntos, eles decidem não desistir, enfrentar a doença e se casam.
A partir da daí, suas vidas começam as superações.
Jane sua então esposa, tem um papel fundamental na vida dele, e com certeza
sem a sua presença ele não teria chegado tão longe em sua superação.



O filme é lindo, delicado e tocante. Tem carinha daqueles filmes que só
de você ver as cenas, as músicas e os atores já sabe que vai amar sabe.
Eu, honestamente, achei um tapa na cara toda a história de Hawking, me peguei
pensando em nós, seres "perfeitos", sem uma doença qualquer, 
dando várias desculpas para enfrentar a vida, buscar sonhos, estudar, aprender,
trabalhar ou até mesmo viver.

Mas pra mim, o incrível mesmo foi a atuação do jovem ator Eddie Redmayne
que passa grande parte do filme interpretando a tal doença degenerativa.
Por mim o Oscar é dele, torcida com certeza! 
Que vale lembrar, já levou o Globo de Ouro.



Saí do cinema emocionada e levou um tempo para me recompor.

Se indico? Com certeza! 







domingo, 15 de fevereiro de 2015

O que a literatura faz


"O que a literatura faz é o mesmo que acender um fósforo 
no campo no meio da noite.
Um fósforo não ilumina quase nada,
mas nos permite ver quanta escuridão existe ao redor".

William Faulkner, citado por Javier Marías





sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Quem sou eu para ser brilhante?


"Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes.
Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida.
É a nossa luz, não nossa escuridão que mais nos amedronta. 
Nos perguntamos "quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?
Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?
Bancar o pequeno não ajuda o mundo. 
Não há nada de brilhante em encolher-se para que as 
outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você.
E a medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente
damos ás outras pessoas permissão para fazer o mesmo".

Nelson Mandela





quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Deixe as imperfeições dos outros


"A sua mente fica perturbada pensando nas imperfeições dos outros.
Deixe as imperfeições dos outros apenas para eles,
deixe que eles cuidem disso.
Cuide da sua própria mente. Cuide das suas próprias
imperfeições e isto é o bastante".

Sri Sri Ravi

Daquelas frases para colar no guarda-roupa e ler todo dia não?