Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Comecei a despertar


"Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que comecei a compreender o respeito e a reverência que a experiência humana merece. A me dar conta de delícias que passaram despercebidas durante um sono inteiro. E a lembrar do que estou fazendo aqui. Ainda que eu não faça. Ainda que os vícios que o sono deixou costumem me atrapalhar. Ainda que, de vez em quando, finja continuar dormindo. Mas não tenho mais tanta pressa. Comecei a aprender a ser mais gentil com o meu passo. Afinal, não há lugar algum para chegar além de mim. Eu sou a viajante e a viagem."

Ana Jácomo



segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O alto do dia!


E vocês estão esperando alguma coisa da vida?
Eu, no momento estou esperando mais de mim mesma, 
mas sem neuras sabe, esperando ser mais calma, mais bem humorada
com as chatices do dia-a-dia, mais tolerante, 
tentando reclamar beemm menos, e aproveitando as coisas boas que temos.
Lá em casa, estamos com um "projeto" o alto do dia,
todos os dias no fim do dia, falamos o alto do dia, o que naquele dia
foi bom, vale de tudo, chegar em casa, comer algo gostoso,
assistir um filme, porque acredito que essas "pequenas" coisas, é o que realmente
salva o nosso dia. Parece bobeira mas ao invés de reclamarmos,
todos os dias precisamos olhar algo de bom naquele dia,
e acredite sempre tem, mesmo que seja chegar em casa depois de um dia estressante
e dormir.... Sempre temos algo bom nos esperando... SEMPRE!
Basta mudar o olhar.

E vocês ainda vão esperar algo da vida?
Ou já tem algo da vida?

Boa semana pra todo mundo! 



quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Feliz por nada, nada mesmo?




"Feliz por nada, nada mesmo? Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. “Faça isso, faça aquilo”. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo? Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo. Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem. Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento. De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre. Adequação e liberdade simultaneamente? É uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Para que se consumir tanto? A vida não é um questionário de Proust. Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria. Que mania de se autoconhecer. Chega de se autoconhecer. Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa. Ser feliz por nada talvez seja isso."


Martha Medeiros 


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Livro: Pequenos Terremotos


Aproveitei minha viagem pra Maceió pra colocar a leitura em dia, nas esperas obrigatórias
de aeroportos e voos. O escolhido foi Pequenos Terremotos da Jennifer Weiner.
O livro conta a vida de 4 mulheres que estão iniciando seu momento mãe, e que se
conhecem durante a aula de Yoga. Rebbeca é gordinha, tem uma marido bacana,
é dona de um restaurante bem badalado e tem uma menina linda e uma sogra MALA.
Kelly é super controladora, quer parar de trabalhar depois que nascer seu bebê, tem sua vida traçada mas seu marido é dispensado do emprego quase no final de sua gravidez. 
Ayinde é uma jornalista, casada com um super-famoso jogador e passa por um
momento delicado que pode colocar em risco seu casamento. 
Além de educar seu bebê, seguindo a risca um livro de auto-ajuda.
Lia, tem uma carreira glamourosa, mas foge de sua cidade de volta para a cidade natal,
quando passa por um momento muito triste de sua vida,
para fugir de sua depressão, abandona o marido e volta para a casa dê sua mãe,
a qual nunca se deu muito bem. 
Pequenos Terremotos é um livro de histórias reais, qualquer uma dessas personagens podem
ser nós. Eu, você. Me identifiquei muito com elas em vários momentos.
Me emocionei em alguns e torci por todas elas.
Já havia lido outro livro da mesma escritora que se chama Em seu Lugar que inclusive
virou filme com a atriz Cameron Diaz.
Eu adorei, pra quem como eu gosta de um livro leve, real e tenho certeza que 
as mamães iram se identificar com certeza!

Recomendo!



segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Há uma nova angústia na praça


".... Há uma nova angústia na praça. Chama-se FOMO, iniciais de Fear Of Missing Out.
É a versão digital de algo antigo: a sensação de que o melhor está acontecendo em outro lugar.
 Em resumo, é o seguinte: o cara tá em casa, numa boa, e resolve dar uma olhadinha
nas redes sociais. Ali, descobre que fulano está numa balada I-R-A-D-A,
beltrano tá num restaurante D-E-L-I-C-I-A, cicrano tá num jogo F-O-D-A, num show
M-A-S-S-A, vendo um filme I-N-C-R-I-V-E-L, com um M-U-L-H-E-R-A-O, 
numa praia M-A-N-E-I-R-I-S-S-I-M-A. De repente, o cara, que estava
em casa, numa boa, se sente o último dos mortais.
Morre de medo de estar perdendo o melhor da(s) festa(s).
Fear Of Missing Out, FOMO".

Humberto Gessinger

Esses dias eu vi uma reportagem falando exatamente sobre isso, o quanto
as pessoas de modo geral estão mais preocupadas em por exemplo, tirar uma foto linda
de um angulo perfeito e esquece de aproveitar aquele momento único.
Nada contra as redes sociais, sou uma das que adora por exemplo, o Instagram,
mas tudo tem um equilíbrio, e basear se a nossa vida é melhor ou pior
que a dos outros pelas redes sociais é triste demais.







sábado, 20 de setembro de 2014

Meu destino foi Macéio


Olá queridas, voltei de viagem, cansada fisicamente, mas com a cabeça
relaxada (porque viajar também cansa haha) e meu destino foi:
Macéio, que eu ainda não conhecia.
E adorei, praias lindas, cidade interessante cheia de coisas pra se fazer.
Visitamos Praia do Francês, Barra de São Miguel, Maragogi e Praia do Gunga.
Gostei de tudo, mas pegamos maré alta e não foi possível fazer os passeios
de Maragogi, fiz apenas um passeio de buggy pelas praias.
Que foi delicioso também, mas quero voltar com o marido programando pra pegar maré baixa
e aproveitar mais. 
Ficamos hospedados no Brisa Tower em Jatiúca, e o que eu mais
gostei da cidade (fora a cor do mar) foi a facilidade que se tem
para andar lá, tudo é de fácil acesso, com bons preços (pelo menos pra mim, foi
equivalente ao custo da minha cidade, que já considerada cara, 
então pode ser que algumas pessoas achem caro Maceio).
A hospitalidade do povo de Alagoas é demais, povo muito receptivo.
Nessa época do ano pegamos um ventinho gostoso que deixou um calor
agradável, e tivemos sorte de pegar dias com sol.


Fizemos passeio de barco, experimentei sucos da região de cajá, mangaba
e muita tapioca de café da manhã, hahahaha, tem que aproveitar,afinal aqui 
no estado de São Paulo não temos tapioca fresquinha no café da manhã certo?

Já faz alguns anos que coloquei como meta pra minha vida, pelo menos
uma vez por ano, conhecer um lugar novo. Não importa a distancia,
podem ser cidades próximas, viagens curtas, praias novas,
não importa, o importante é conhecer algum destino novo e tem dado certo pra mim,
sou daquelas que acredita que se desejarmos, se vibrarmos, não importa, a vida providencia tudo
não importa a maneira, mas de algum lugar vem, a condição, a oportunidade.
Esse ano já foram dois destino novos. Qual será o próximo?
E o seu próximo?
Eu troco tudo por uma viagem e você?








segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Pausa para um novo destino


"Sobre cada dia ela se equilibrava nas pontas dos pés, 
Sobre cada frágil dia que de um instante para outro poderia
se partir e cair em escuridão. 
Mas ela milagrosamente o atravessava e 
exausta de alegria e cansaço chegava a dormir
para o dia seguinte surpreendida recomeçar".

Clarice Lispector

Pessoal, essa semana estarei viajando então ficarei uns dias sem atualizar
o blog, mas final de semana estarei por aqui novamente
e conto sobre meu novo destino.

Um beijo e fiquem em Paz!






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...