Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Casinhas e as delícias da Internet


Se eu tivesse que escolher nesse mundo da internet, a coisa mais legal que ela
me proporciona (ok, não seria uma lista fácil porque ela me proporciona infinitas
coisas legais), seria fotografia. Sério, eu viajo nessas imagens lindas
que eu vejo pelo mundo virtual. São imagens/fotografias de decoração, de moda,
de maquiagem, de viagens, de lugares e realmente faz um bem a minha alma.
Tenho várias delas salvas em sites, no notebook, e algumas ou a grande maioria
nem sei de quem são. Uma pena, existe por aí verdadeiros artistas. 
Entre suas inúmeras opção, há as casas de campo, gente, eu simplesmente
sonho com uma casinha de campo. Ou na cidade, mas naquele estilo sabe?
Vim compartilhar com vocês algumas fofuras que encontrei por aí.

Pequena, mas quem resiste a essa florestinha do lado?

Gente, e esse jardim e essas flores? Já pensaram em abrir a janela pela manhã?

Cerquinha branca é casa dos sonhos, literalmente.

Sonho de uma casa com muito verde ao redor. Já falei que AMO montanhas?

Já pensei em uma lareira nessa casinha!

Certeza que eu chamaria vocês para um cafezinho nessa mesinha

Que essas imagens façam tão bem a vocês, como elas fazem a mim!

Um final de semana cheia de amor e paz














quarta-feira, 1 de julho de 2015

O pensamento acumulado


"A gente não precisa pensar tanta besteira pra viver, tenho me dado conta disso. Estou longe de ser uma pessoa neurótica (ops, será?), mas penso muita bobagem. Penso no que não aconteceu, no que talvez nem aconteça, no que já passou e nunca voltará. Penso no que podia ter dito e ficou de mãos dadas com a timidez, no que saiu boca afora sem pudor, no que quase foi e quase voltou. Penso nas centenas de voltas que a vida dá, no tempo que passa sem deixar rastro, nos segundos que se vão causando algum tormentinho breve. Penso na urgência da vida, na moleza que a preguiça traz, no que posso fazer e não faço.
Penso no instante que não volta, no que quero trazer pra perto e foge, no que se afasta a cada momento e a falta de força não consegue correr atrás. Penso que penso demais, repenso no que já foi pensado, dispenso o que não consigo suportar. No meio disso tudo, uma pergunta insistente gira em torno de si mesma: para onde vão todos esses pensamentos? Para onde vão todos esses sentimentos que colam com fita crepe nos pensamentos que eram pra ser e não foram?
Assim como você não se desfaz da blusa que estava quando deu o primeiro beijo, do jeans que já está mais velho que o Papai Noel e da pétala de rosa que ganhou no primeiro Dia dos Namorados e hoje já perdeu a cor e o perfume, é possível que também não se desfaça de tudo que pensou, sentiu e não disse por falta de coragem, tempo ou vontade.
Sei que os momentos não voltam. E que o não dito nem sempre consegue um novo espaço. Mas é preciso fazer uma limpeza pesada dentro da cabeça, para que todos esses pensamentos não virem pequenas melancolias, médios remorsos e grandes arrependimentos. Por isso, de vez em quando faça uma faxina e organize tudo dentro de você"

Clarissa Correa 



segunda-feira, 29 de junho de 2015

Uma boa dose de vida cura qualquer dor.



"Uma boa dose de vida cura qualquer dor.
Dói. Eu sei. Dói na alma. São como finas garras que penetram o peito e torcem, lentamente, o coração. Covardes o suficiente para torturar, mas sem nos matar. Os seus donos são os mais variados motivos: saudades; decepções; perdas.
Passam-se até infinitas eternidades. Só não passam as horas. Pingo aqui a sabedoria de uma coração tantas vezes já esmagado. Ainda assim, intacto. Acredite nela. Estas dores quase nos matam. Mas quase apenas.
Porque a mesma vida que nos machuca é quem nos cura. Mesmo que lentamente. Algumas dores exigirão doses mais fortes. Outras, mais fracas. Um sol no rosto. Um novo sorriso. Um amigo. Não importa. Procure a sua e siga.
Lembre-se: uma boa dose de vida cura qualquer dor. Mas os nossos ralados não saram enquanto não tiramos o joelho do chão. Se você não acredita nisso, deveria. Não são apenas as nossas fraquezas que nos tornam mais fortes. Mas o que fazemos com estas."

Do site Homem que Sente




domingo, 28 de junho de 2015

Espírito Aberto


"Quando alguém me diz "como você tem sorte", penso que tenho mesmo.
Mas não a sorte de receber tudo caído no colo, e sim, a sorte
de ter percebido a tempo que nosso maior inimigo é a falta de humor.
Sem humor, brota preconceito para tudo que é lado.
A gente começa a ter mania de perseguição, qualquer coisa parece difícil
e uma discussãozinha á toa vira um dramalhão.
Prefiro escalar uma montanha a viver dessa forma cansativa.
Espirito aberto. Caso você não tenha recebido gratuitamente na sua herança genética,
dá para desenvolver por si próprio."

Martha Medeiros



sábado, 27 de junho de 2015

Quem roubou a minha caixa de lápis de cor?


"Tenho uma amiga que quando percebe que eu estou triste costuma me perguntar quem roubou a minha caixa de lápis de cor. Tem vez que nem pergunta, apenas comenta: “poxa, dessa vez levaram as cores que você mais gosta!” A tristeza afrouxa um pouco, por mais que eu esteja chateada. Primeiro, porque é muito bom a gente se sentir olhado com carinho. Depois, porque essa expressão tem uma inocência capaz de fazer gente grande tocar em coisas sérias sem ficar com medo de queimar a mão. De vez em quando, ao ouvir a pergunta, acontece de uma lágrima ou outra escapulir, afeitos que alguns sentimentos são a desaguar no rosto quando o coração fica apertado. Mas, algumas vezes, quando eu choro diante dessa indagação não é pelas cores que não encontro na caixa nem por lembrar de quem supostamente as roubou. Choro por perceber que ainda dou aos outros o poder de roubá-las. Por notar que, no fim das contas, quem rouba os meus lápis de cor preferidos sou eu."

Ana Jácomo



quarta-feira, 24 de junho de 2015

Bons links pra curtir


Friozinho chegou (pelo menos por aqui rs), e ficamos mais aconchegados em casa,
buscando coisas legais para se fazer, entre elas, buscas de sites e blogs interessantes, porque cá entre
nós, essa internet tem muita coisa boa não? Eu mesmo tenho
uns sites e blogs (fora os das amigas queridas blogueiras), que estou sempre de olho.
Então resolvi compartilhar com vocês, pra quem não os conhece vai valer a pena com certeza:



A  Melina Sousa é de Curitiba e tem um site fofo demais. 
Com resenhas de livros, fotografias tiradas por ela mesma, com certeza
é um dos sites mais fofos da internet. E Juro, sabe aquela foto fofa que você achou por ai?
Certeza, que é da Melina Sousa. 



A Sabrina, Marina e a Thais também são de Curitiba (alô Curitiba, só gente boa aí),
e acho que eu não compro nada de cosméticos (ou de maquiagens, perfumes e esse mundo afora) sem antes realizar uma pesquisa no site das meninas, sério, elas são ótimas.
Fazem resenhas de todos os produtos que as mulheres mais amam. Além disso
ainda tem novidades do mês, links legais da semana, moda, dicas em Curitiba,
e até decoração. Eu adoro! Vale muito a pena.




Conheci a Nine pelo Instagram por um livro em comum que estávamos lendo.
E a adorei! Ela e o marido são apaixonados por Café (assim como eu),
livros, filmes, etc. E a Nine compartilha muita coisa legal por ali.
O seu Instagram é um caso a parte, cheio de cafezinhos.
Uma delicia!




A Hazel mora em Portugal, e tem um site bem zen.
Taróloga, Professora de Reike, Terapeuta Holística,
 Além de umas musiquinhas delícias que ela sempre tem por lá,
(e que alias inspira muito o Templo), tem uns assuntos
de bruxinhas. Vale a Pena! 



Ah, Lolla (suspiros!), meu amor por esse site é pra vida toda.
Ela é simplesmente minha fotografa preferida tipo sempre. Lolla é brasileira, 
mas mora fora do Brasil a muito tempo já. E divide seu talento e as coisas mais fofas 
do mundo e de sua casa com todos nós. Já disse a ela um dia que o mundo da internet
não teria a menor graça sem ela. Foi ela que me fez se apaixonar pelo mundo das imagens.
(Suspiros...).

Pessoal, espero que façam boas visitas, elas valem a pena.
E se vocês tiverem links legais, compartilhem também. Troca é vida.
Um beijo.




















segunda-feira, 22 de junho de 2015

Até onde sofrer?


"Não se turbe tua felicidade pelas maldades, crimes, vícios, fomes,
guerra e perdições que assolam o mundo e agourentas
predições que o ameaçam. Continua sereno.
Não devemos esquecer que, até certo ponto, temos o dever de
tentar salvar alguma coisa. Precisamos esforçar-nos para
evitar a hecatombe e criar algo no meio da devastação.
Mas... Que pode fazer o menino pastor para evitar que a plantação
seja pisada pela manada que estourou?"

Do livro Mergulho na Paz do Prof. Hermógenes