Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Amizade sem trato


Dei pra me emocionar cada vez que falo dos amigos. Deve ser a idade, dizem que a gente fica mais sentimental. Mas é fato: quando penso no que tenho de mais valioso, os amigos aparecem em pé de igualdade com o resto da família. E quando ouço pessoas dizendo que amigo, mas amigo meeeesmo, a gente só tem dois ou três, empino o peito e fico até meio besta de tanto orgulho: eu tenho muito mais do que dois ou três. É uma cambada. Não é privilégio meu, qualquer pessoa poderia ter tantos assim, mas quem se dedica? 
Fulano é meu amigo, Sicrana é minha amiga. É nada. São conhecidos. Gente que cumprimentamos na rua, falamos rapidamente numa festa, de repente sabemos até de uma fofoca pesada sobre eles, mas amigos? Nem perto. Alguns até chegaram a ser, mas não são mais por absoluta falta de cuidado de ambas as partes.
Amizade não é só empatia: é cultivo. Exige tempo, disposição. E o mais importante: o carinho não precisa - nem deve - vir acompanhado de um motivo.
As pessoas se falam basicamente nos aniversários, no Natal ou para pedir um favor - tem que haver alguma razão prática ou festiva para fazer contato. Pois para saber a diferença entre um amigo ocasional e um amigo de verdade, basta tirar a razão de cena. Você não precisa de uma razão, basta sentir falta da pessoa. E, quando juntos, tratarem-se bem.
Difícil exemplificar o que é tratar bem. Se são amigos mesmo, não precisam nem falar, podem caminhar lado a lado em silêncio. Não é preciso troca de elogios constantes, podem até pegar no pé um do outro, delicadamente. Não é preciso manifestações constantes de carinho, podem dizer verdades duras, às vezes elas são necessárias. Mas há sempre algo sublime no ar entre dois amigos de verdade. Talvez respeito seja a palavra. Afeto, certamente. Cumplicidade? Mais do que cumplicidade. Sintonia?
Acho que é amor.
Oh, céus! Santa pieguice. Amor? Esta lenga-lenga de novo? 
Sério, só mesmo amando um amigo para permitir que ele se atire no seu sofá e chore todas as dores dele sem que você se incomode nem um pingo com isso. Só mesmo amando para você confiar a ele o seu próprio inferno. E para não invejarem as vitórias um do outro. Por amor, você empresta suas coisas, dá o seu tempo, é honesto nas suas respostas, cuida para não ofender, abraça causas que não são suas, entra numas roubadas, compreende alguns sumiços - mas liga quando o sumiço é exagerado. Tudo isso é amizade com trato. Se amigos assim entraram na sua vida, não deixe que sumam. 
Porém, a maioria das pessoas não só deixa como contribui para que os amigos evaporem. Ignora os mecanismos de manutenção. Acha que amizade é algo que vem pronto e que é da sua natureza ser constante, sem precisar que a gente dê uma mãozinha. E aí um dia abrimos a mãozinha e não conseguimos contar nos dedos nem dois amigos pra valer. E ainda argumentamos que a solidão é um sintoma destes dias de hoje, tão emergenciais, tão individualistas. Nada disso. A solidão é apenas um sintoma do nosso descaso.

Martha Medeiros

Feliz dia do Amigo pra vocês, Gratidão! 





sexta-feira, 15 de julho de 2016

Ser feliz é não ser escravo das culpas


"Ser livre é não ser escravo das culpas do passado nem das preocupações do amanhã. Ser livre é ter tempo para as coisas que se ama. É abraçar, se entregar, sonhar, recomeçar tudo de novo. É desenvolver a arte de pensar e proteger a emoção. Mas, acima de tudo, ser livre é ter um caso de amor com a própria existência e desvendar seus mistérios."

Augusto Cury



quarta-feira, 6 de julho de 2016

Humano, igual a todos


"....Quando nos sentimos superiores (mesmo sem a percepção clara disso)
e algo de ruim acontece, tropeçamos ou caímos , vamos imediatamente 
para o lado oposto, "Eu não sou boa o suficiente" foi o que eu pensei no momento
em que descobri o tumor. Contudo, o câncer  de mama me devolveu para o meu lugar.
O lugar do humano, vulnerável, sensível. O lugar da igualdade.
Nem mais, nem menos; Nem fácil, nem difícil; Nem bonito, nem feio.
Humano, igual a todos. Por meio da positividade, você vive aquela dor, mas não
se entrega a ela. Não se desintegra. E quando supera a tempestade, está pronto
para o próximo passo. Ser positivo é estar presente, hoje, aqui e agora.
Porque a vida está acontecendo no hoje, com tudo o que você é e com
tudo o que lhe pertence."

Trecho do livro O Mapa da felicidade de Heloísa Capelas





quarta-feira, 29 de junho de 2016

Lidando eficazmente com a raiva


"A raiva nada mais é do que uma expressão da dor e da expectativa. Entre aquele que deseja e aquilo que é desejado, há um obstáculo bloqueando a realização do que se deseja. Devido a este obstáculo, o desejo é desviado. Esta forma desviada do desejo ou da expectativa é o que chamamos de raiva.
O problema é que não incluímos os obstáculos em nossas expectativas, porque não os queremos. Mas a vida é de fato cheia deles. Mesmo ao respirar temos obstáculos. No ato de pensar, definitivamente, enfrentamos obstáculos, como quem sofre um bloqueio de criatividade. O escritor não pode começar a escrever, mas, uma vez que ele ou ela comece, se torna mais fácil e, eventualmente, as palavras começam a fluir.
Da mesma forma, existem obstáculos em tudo. Mas, porque nós não podemos tolerá-los, nós acabamos ficando com raiva. Na verdade, às vezes, nós somos o nosso próprio obstáculo. Há um Ser ideal, algo que eu quero ser e há um Ser verdadeiro, que é muito diferente; porque nos dividimos deste modo, ficamos com raiva de nós mesmos. Aqui, também, vemos que a raiva nada mais é do que uma expressão da expectativa.
Viver sem expectativas não faz sentido. Portanto, eu diria, viva com expectativas e deixe que as expectativas incluam obstáculos também. O que pode dar errado vai dar errado. Inclua essa máxima em suas expectativas. Esta é uma afirmação muito sensata e não significa que você deseje ou faça as coisas para darem errado. É, de fato, uma afirmação totalmente positiva.
As coisas podem dar errado e, se derem errado de fato, considere isto um progresso. Então, não haverá raiva. Se há alguma possibilidade das coisas darem errado, você pode certamente se precaver, sendo cauteloso e evitando todas as armadilhas conhecidas. Isto é ser objetivo. Esta é uma parte importante do planejamento, bem como fazer o que tem que ser feito.
Apesar de todos os planejamentos e precauções que você possa tomar, no entanto, você deveria considerar que as coisas podem dar errado. Assim, você pode ser objetivo apenas quando leva em conta essas possibilidades."
Swami Dayananda.
Fonte: Página do Facebook de Pedro Kupfer




quinta-feira, 23 de junho de 2016

7 belas lógicas


1-) Faça as pazes com o seu passado, assim você não estragará o seu presente.
2-) O que os outros pensam de ti não lhe diz respeito.
3-) O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.
4-) Ninguém é motivo para sua felicidade senão você mesmo.
5-) Não compare sua vida com as dos outros. Você não tem ideia de como foram trilhadas.
6-) Pare de pensar muito. Você não precisa saber todas as respostas.
7-) Sorria, pois você não tem todos os problemas do mundo.

Encontrei essas 7 lógicas na página de Facebook do Viajantes Solitários.
Achei que nos parecem tão obvias e simples, mas na prática, muitas vezes
tão difícil, não é mesmo?  Vale a pena reler, reler e reler.





domingo, 19 de junho de 2016

Filme: Na Natureza Selvagem


Hoje venho indicar pra vocês um livro e um filme, o Na Natureza Selvagem,
uma história biográfica de Christopher McCandless que tem uma vida aparentemente
boa, mora com seus pais, tem a oportunidade de se formar e continuar seus estudos em uma boa
faculdade, tem uma irmã querida, mas por algum motivo resolve largar tudo isso
e se aventurar para o mundo, deixando para trás todo o seu conforto, dinheiro, carro,
carreira e viver sem nenhuma programação a não ser ter o seu destino final o Alasca.

Christopher, não pretende ser encontrado pela sua família, não deixa rastros, nem mantem
contato. E ao longo de sua caminhada, encontra pessoas especiais, mas ainda
assim mantem seu modo de viver. Nem dinheiro Christopher quer. 



O filme, que também é um livro, mostra a jornada de autoconhecimento de um jovem
que vai contra todo o sistema. E nos leva a vários questionamentos.
É preciso ir contra tudo e todos? Ou realmente somos todos produtos de uma sociedade?
Precisamos de pessoas para viver? Ou melhor viver sozinho sem qualquer tipo de apego?
Toda escolha tem a sua consequência. 

A trilha sonora é maravilhosa, toda do cantor Eddie Vedder (Vocalista da banda de Rock Pearl Jam)

A fotografia é incrível e o filme todo é cheio de frases para refletirmos.

Uma vida mansa e isolada no interior, com a possibilidade de ser útil a quem é fácil ser bom, pessoas que não estão acostumadas a ser servidas. E trabalhar com algo que pode ser útil. Além de descansar, natureza, livros, música, amar seu próximo. Essa é a minha ideia de felicidade. E, então, acima de tudo, você como parceira e, quem sabe, filhos. O que mais o coração de um homem pode desejar?

Chris avaliava a si mesmo e as pessoas ao redor com um código moral tremendamente rigoroso. Ele se arriscava a tomar um caminho extremamente solitário, mas achou companhia nos personagens dos livros que amava, de escritores como Tolstoi, Jack London e Thoreau. Ele sabia citar suas palavras em qualquer ocasião e sempre o fazia.

O amor? Não sei! Ele nos prende, também!
Sabe o que eu acho?
Mais que o amor, o dinheiro, a fé, a fama, a beleza me dêem a verdade.
A verdade nos torna livre e deixa as pessoas livres!

Eu amei e recomendo.
Tem disponível no Nextflix! 











domingo, 12 de junho de 2016

Você é o que fala


"Um monge zen costumava gritar alto todas as manhãs: 
"Bokuju, onde você está?"
(Bokuju era o seu próprio nome.)
E ele mesmo respondia: 
"Estou aqui."
E continuava: 
"Bokuju, lembre-se, um outro dia lhe é dado...
fique consciente, alerta 
e não seja tolo!"
E ele mesmo respondia: 
"Sim, senhor, tentarei dar o melhor de mim."
Porém, não havia mais ninguém ali!
Ele perguntava, ele respondia...
Seus discípulos começaram a pensar que ele tinha enlouquecido, 
mas ele estava somente representando 
um mono-drama.
E essa é a situação interior.
Você é o que fala e o que escuta,
é o que comanda e o comandado."

Osho - Nem água nem Lua